domingo, 17 de outubro de 2010

Privatizações e minhas opiniões

Sexta passada recebi o email de um amigo na empresa com um PDF apresentando montagem de uma série de reportagens da Revista VEJA de 1995 sobre as privatizações. Dizia: "contra fatos não há argumentos". E os trechos retirados tentavam evidenciar a ligação de José Serra com o programa de privatizações.

Como o meu amigo tem menos de 25 anos me senti na obrigação de respondê-lo, afinal, ser 10 anos mais velho me deu a chance de enfrentar filas no supermercado para comprar óleo e carne, receber aumentos a cada 03 meses no que era chamado "gatilho salarial", acompanhar várias quedas de 03 zeros nas moedas, etc, até que surgiu o Plano Real arquitetado por FHC e iluminados economistas (lembrando que o PT foi ferozmente contra chamando-o de "estelionato eleitoral"). Estes 10 anos a mais me proporcionam a lembrança de como eram as nossas estatais, aliás, podemos ver nos exemplos atuais dos Correios e Infraero. Ineficientes, propícias à corrupção e um santo cabide de emprego para os mais chegados - prato cheio para "Erenices" e "Dirceus".

Peguemos qualquer uma das empresas privatizadas entre Collor e Lula (pois é, o "Hômi" também privatizou, mas a rapaziada vai na Veja lá de 95 para buscar reportagens): pode-se pegar a primeira Usiminas, a segunda CSN, a terceira CST,... Vivi intensamente o período (meu pai trabalhou na 1a e na 3a). Nenhuma delas piorou depois de passar para as mãos do "capital". Nenhuma! Mas a Telefônica, Oi e companhia são campeãs de reclamações no PROCON, como melhoraram? Acreditem, era bem pior. Pior?! O que seria pior do que ser mal atendido pelas Teles? Querem mesmo saber? Pior que isso seria não ter linhas à disposição e apagões constantes. Era exatamente assim (vejam no post abaixo). Na minha rua dois vizinhos tinham telefone, o resto...

A Vale, que vez ou outra aparece um doido querendo reestatizar, paga mais hoje de impostos do que dava de lucro+impostos. Não só a Vale, mas outras também... Ah, mas é "a riqueza nacional", "patrimônio público" entregue aos "especuladores"? Falácia!
Primeiro porque no caso da mineradora o que ela tem são concessões. O minério continua sendo do estado brasileiro. Segundo, o minério (ou petróleo para os que querem mais um cabide na Petrobras) só se torna saúde, educação, segurança e etc quando é vendido. Embaixo da terra ele só serve como garantia de empréstimos. Então, para "servir" à Nação o minério (ou o petróleo) precisa ser descoberto, explorado, transportado, processado e vendido. Minério não traz bem estar social, o dinheiro da venda sim. Pensem nisso!
Não adianta o "patrimônio público" embaixo da terra. O Estado tem que definir se arregaça as mangas e trata de descobrir, explorar, transportar, processar e vender ou "concede" essa tarefa a alguém e cobra por isso sob a forma de taxas e impostos. Ah, mas os caras lucram horrores!?! Deixem lucrar! Lucro não é pecado. Entremos na bolsa e participemos (a partir de R$100,00) do sucesso das empresas! De mais a mais, se o Estado achar por bem pode renegociar o que recebe.
Pegando os exemplos de que dispomos, só por ideologia que alguém ainda pode ser contra as privatizações. Sobretudos as que transformaram o Brasil no período de FHC. Mas venderam a preço de banana??? Mentira. Venderam a preços de mercado e até com ágio na maioria (senão todos) os casos.

A mensagem do meu amigo comparava o valor de mercado da Vale hoje como o que foi vendido. Só pode ser brincadeira! É claro que é muito maior!
A Vale era um amontoado de gente trabalhando para uma penca de políticos e se tornou um colosso. Entre as 03 primeiras do mundo dependendo do foco de análise. O aumento do valor de mercado é um reconhecimento do sucesso de sua gestão! Tem mais é que aumentar!
A Vale é hoje uma das empresas mais eficientes do mundo. Querem ver? Vamos ao Guia Exame Melhores & Maiores 2010 (os dados são de 2009):
     - Faturamento Petrobras: US$ 103 milhões
     - Faturamento Vale: US$ 16 milhões
     - Lucro Petrobras: US$ 14 milhões
     - Lucro Vale: US$ 6 milhões

Perceberam? A Vale tem pouco menos da metade do lucro da Petrobras mesmo faturando 6 vezes menos!

O pior que a motivação do email era outra: "Se vocês desejam fazer concurso público ou se quer (sic - parece msg da Dilma) que seus filhos sejam concursados". Perceberam a preocupação com o país?

Por fim, vale uma olhada nas listagens de países mais ricos ou de melhor qualidade de vida no mundo. Entre os 10 primeiros quantos utilizam o modelo estatal? Ah, mas e a China??? Pra chegar onde está hoje teve de dar os primeiros passos rumo ao "capitalismo" (que apelidamos de "socialismo de mercado") e olha quanta diferença.

Infelizmente a mensagem do meu amigo está errada em uma coisa, e não é em trazer a privatização à pauta. Com a ideologia impregnada nos discursos por aí, "contra fatos" arrumam até argumentos.

4 comentários:

Bruno disse...

Perfeito meu amigo, parabéns!

Elerson disse...

Obrigado meu caro. Não perca a reportagem da Veja desta semana sobre o tema. Mais um pouco e vão dizer que estou colaborando com a revista... Rsrsr. Obrigado pela visita!

Luciana disse...

Chefe! Parebéns pelo texto. Se não se importa, irei repassar para a minha lista de e-mails.

Saudades de você!

Elerson disse...

Oi Lú! Que bom vc por aqui! Fique à vontade para repassar, alias, vale uma associação com a matéria "Quem tem medo da privatização?" na Veja desta semana - olha que escrevi meu texto primeiro... rsrsrs. Beijos e obrigado pela visita!