sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Família Klein estuda venda da Casas Bahia (?!)

Processo vem sendo conduzido há três meses, em sigilo absoluto. A empresa nega
Por Tiago Lethbridge Revista Exame

Segundo sete fontes independentes ouvidas por EXAME nos últimos três dias, a família Klein, dona da Casas Bahia, está procurando um comprador para a maior varejista de eletrodomésticos e móveis do Brasil. Três dessas fontes são executivos de empresas diferentes que participam diretamente das negociações. Há cerca de três meses, a Casas Bahia enviou a potenciais interessados uma carta com números da empresa, abrindo as conversas. Foram assinados acordos de confidencialidade e, desde então, os interessados e seus assessores financeiros analisam os números e elaboram as possíveis estruturas da transação. De acordo com um cronograma previamente estabelecido, as ofertas iniciais deveriam ser feitas até o fim da semana passada. Nos últimos dias, porém, a informação circulou entre bancos de investimento, que começaram a procurar outros investidores para entrar no processo — que, se antes era restrito a poucos participantes, pode ganhar novos atores nos próximos dias.
Segundo EXAME apurou com executivos que participam das negociações, é cedo para dizer se a Casas Bahia será efetivamente vendida ao final do processo. “Nos abordaram e tivemos extensas reuniões com eles, mas isso não quer dizer que o negócio vai ser concluído”, diz o assessor de um dos interessados. Segundo dois executivos envolvidos, a Casas Bahia não teve seus balanços auditados por firmas independentes, passo considerado básico para quem deseja atrair compradores, especialmente entre empresas de capital aberto. E o representante dos Klein não seria um banco de investimento, mas o consultor especializado em varejo Marcos Gouvêa de Souza. A aquisição seria um passo colossal, certamente a maior transação da história do varejo brasileiro. O faturamento da companhia beira os 12 bilhões de reais. Pelos padrões de valor de mercado de empresas do setor, uma eventual compra custaria cerca de 6 bilhões de reais.

2 comentários:

Milton Toshiba disse...

Elerson, não comprei um Mac. Deve ter confundido com alguém. Fui no Extra fotografar para Bia e estava em dúvidas.

Até tinha perguntado a ela, e ela( e vários outros usuários) me convenceu a ir para Dell.

Até coloquei um link para vendas. Vai lá e configure o latitude D630 com core2 duo, garantia no lcal de 3 anos e muito mais hardware que o MacBook e verá que ainda assim é mais barato. A garantia deles é incomparável. vem trocar tecla quebrada em sua casa.

Tenho um pavilion e quero mais um. Comprarei um dell. No meu blog te o site de vendas. Configure as opções. processadores, hd, baterias, etc. Você compra o que precisa.

Comprarei ano que vem.

abs

Elerson disse...

Ok meu caro. Devo ter te confundido mesmo. Pensei que tivesse um Mac. Muito obrigado pelo retorno. Visitarei seu Blog. Abcs